Graduação - Regulamento para Exame de Faixa Preta

REGULAMENTO PARA CANDIDATOS A EXAME DE FAIXA PRETA

DE SHODAN A GODAN

 

A Superior Comissão Estadual de Graus (SUCEST) no uso da prerrogativa que lhe confere o artigo 43° do Estatuto da Liga Mineira de Judô institui as seguintes normas para os candidatos a exame de faixa preta.

Somente poderão requerer ou prestar exame de faixas na LMJ os candidatos que:

Art.1º. Para se qualificar ao exame de graduação, o candidato deverá cumprir a carga horária estabelecida no artigo16° desse regulamento, atuando como árbitro e participar dos cursos  e clinicas de arbitragem da LMJ. Estas horas deverão ser comprovadas através de documento fornecido pelo diretor de arbitragem da Liga Mineira de Judô. Para os exames a graduações acima de Shodan o candidato poderá cumprir a tabela de horas de arbitragem ou em outras funções relevantes dentro da LMJ, conforme tabela.

Art.2º. Para solicitação de graduação por ANÁLISE DE CURRICULO o candidato deverá ter realizado pelo menos um exame de faixas na Liga Mineira de Judô.

Art.3º. A SUCEST se reserva o direito de realizar qualquer exame, inclusive de currículo, em casos especiais, quando assim achar conveniente.

Art.4º. Além das normas estabelecidas pela Superior Comissão Estadual de Graus da LMJ, o exame se baseará nas técnicas catalogadas pela Kodokan (Japão) e pela FIJ (Federação Internacional de Judô) para a montagem de seus exames de graduação.

  • Paragrafo 1º - Somente será permitido no local do exame o candidato, seu Uke e a Comissão Estadual de Exames (CEE).
  • Paragrafo 2º - Em caso de aprovação do candidato somente a LMJ poderá promover o aprovado.

 

CAPÍTULO I:

DAS INSCRIÇÕES:

Art. 5º. As inscrições somente serão aceitas se assinadas pelo Responsável Técnico do Clube filiado. No caso das Ligas Regionais, deverá ainda conter a assinatura do Presidente da mesma.

Art. 6º. Os candidatos deverão enviar até 30 (TRINTA DIAS) antes, o Curriculum Vitae, com os respectivos XEROX DOS CERTIFICADOS ANTERIORES e documentos comprobatórios, para apreciação da Superior Comissão Estadual de Graus.

Art. 7º. O judoca para submeter-se ao Exame de Faixa, deverá satisfazer as condições exigidas pelo programa.

Art. 8º. Para registro dos judocas de outras entidades na LMJ é necessária a apresentação do Curriculum Vitae, cópia dos documentos comprobatórios da entidade de origem de todas as promoções de Dan,para Shodan e graus superiores.

Art. 9º. Os candidatos com curriculum insuficiente e que não participam das competições da LMJ, para prestar exame de Shodan ou graus superiores, com idade abaixo de 35 anos, estarão sujeitos a prestar exame de shiai, a critério da SUCEST.

 

Art.10º. Somente será permitido no local do exame o Candidato, seu Uke e a Comissão Especial de Exames (CEE).

Obs.: De acordo com ata da reunião da CEG em 2009, o candidato poderá solicitar sua promoção através de currículo a partir de 40 anos de idade, desde que tenha carência de 03 anos de registro na LMJ e ter cumprido as horas de arbitragem na LMJ de acordo com o artigo primeiro deste Regulamento.

CAPÍTULO II

DOS CANDIDATOS:

Art.11º. Poderão ser candidatos a exames de graduação a Shodan e Dans superiores na LMJ os atletas e judocas que preencherem os seguintes quesitos:

 

Graduação Idade Mínima Carência
SHODAN 17 anos 02 anos como faixa marrom
NI DAN 20 anos 03 anos como Shodan
SAN DAN 24 anos 04 anos como Ni-Dan
YON DAN 29 anos 05 anos como San-Dan
GO DAN 35 anos 06 anos como Yon-Dan


Art.12º. São DEVERES do Candidato a Exame de Promoção à Shodan e Dans Superiores, ou ainda a analise de curriculo:

  • Apresentar-se, voluntariamente, nos campeonatos do Calendário da LMJ e da LNJ que ocorram em nosso Estado ou nos eventos nacionais e internacionais a qual for designado, adequadamente vestido, com traje oficial de arbitragem, para atuarem como árbitros, ou em comissões a ele atribuídas (pesagem, súmulas, etc.);
  • Se menores de 35 anos, atuarem como atletas em eventos oficiais da LMJ;
  • Participarem de todos os Cursos Técnicos necessários à promoção pretendida;
  • Cumprir os dias e horários dos Boletins da LMJ;
  • Apresentarem-se com quimono BRANCO nos Cursos Técnicos da LMJ, ou trajando indumentária compatível ao evento;
  • Primar pela disciplina, ordem, hierarquia e demais princípios do Judô em todos os eventos Judoísticos que se fizer presente, em qualquer condição;
  • Após a promoção, zelar pela graduação a si outorgada, jamais utilizando graduação que não a sua, ou permitindo que lhe imponham qualquer restrição em relação a graduação outorgada;
  • Pagar correta e tempestivamente as taxas da LMJ, em especial a destinada a Cursos Técnicos;
  • Manter-se atualizado pelo site da LMJ (www.judominas.com.br) de todos os eventos e cursos, sendo que não será notificado para comparecer a eventos e cursos, sendo sua obrigação e de seu técnico a constante atualização pelo respectivo site, que é o instrumento de comunicação oficial da entidade.
  • . Qualquer descumprimento, por parte do candidato, implica na perda desta condição.
  • . A não observância do disposto no inciso VII poderá implicar, de acordo com deliberação da Presidência da LMJ em comunhão com a Superior Comissão de Graus da entidade, em revogação expressa da graduação outorgada, da qual o atleta será comunicado/notificado por escrito, dando-lhe o prazo de 15 dias para a apresentação de defesa escrita.
  • . A defesa escrita que trata o parágrafo anterior será dirigida ao Presidente da SUCEST  e analisada pelos membros desta Comissão, o qual emitirá parecer final a respeito da revogação da graduação outorgada, que será registrada no Livro de Cursos e Promoções da LMJ.

Art.13º. O candidato que, pagando a taxa referente ao curso, não o fizer ou o fazendo e nele for reprovado em todas as tentativas possibilitadas, ou faltar ao exame, poderá  fazê-lo novamente, no ano seguinte, pagando novamente a respectiva taxa.

Art.14º. São DIREITOS do candidato a exame de promoção na LMJ:

  • Ser tratado com respeito, de forma humana e dentro dos princípios do Judô pela CEE.
  • Ter a seu dispor, através do site da LMJ ou de material escrito,a matéria a ser exigida no EXAME DE GRADUAÇÃO da LMJ;
  • Não sofrer qualquer tipo de distinção dentre os candidatos em igualdade de condições às suas (pontuações, carência, serviços prestados).
  • A Superior Comissão Estadual de Graus servirá como órgão de consulta e apelação para candidatos que tenham sofrido qualquer discriminação nos exames efetuados pela CEE.de acordo com o Regulamento da SUCEST no artigo 3 C.

CAPÍTULO III:

DOS CURSOS TÉCNICOS E EXAMES:

Art.15º. São cursos obrigatórios que os candidatos a exame de promoção de Shodan a GoDan deverão se sujeitar, de acordo com a graduação pretendida:

  • ARBITRAGEM: Curso necessário para exame de promoção a Shodan, com estágio obrigatório nos eventos do calendário da LMJ, de pelo menos 01 (um) ano, sendo que para os candidatos a exame de promoção de NiDan a GoDan faz-se necessária a realização de reciclagem ou clínicas, com atuação como árbitro nos eventos da LMJ de pelo menos 1 (um) ano, podendo ser no ano do exame. O candidato que ainda não tenha feito o curso de arbitragem deverá atuar como ÁRBITRO DE MESA nos eventos anuais.
  • único: Os candidatos à promoção de Dan deverão cumprir a tabela de horas de arbitragem, conforme as graduações pretendidas. 

 

  • NAGE NO KATA: Curso necessário para exame de promoção a Shodan, onde o candidato apresentará as técnicas até o terceiro grupo, apenas como Tori (de acordo com orientação da Kodokan-Japão), sendo que para Ni-Dan faz-se necessária a apresentação de todos os grupos, com atuação como Tori e como Uke ou a critério da CEG.
  • KATAME NO KATA: Curso necessário para exame a San-Dan.
  • KIME-NO-KATA: Curso necessário para exame a Yon-Dan.
  • WAZA: Curso a ser realizado no ano do exame, sendo obrigatório para os candidatos de Sho-Dan a Yon-Dan.
  • MELHORIA NA QUALIDADE DO JUDÔ: Curso teórico, obrigatório para os candidatos de Ni-Dan a Go-Dan, a ser realizado no ano do exame, sendo que será montado pelos órgãos competentes da LMJ.

Art.16º. O exame de ARBITRAGEM será prático, de acordo com os registros do candidato no Livro de Arbitragem da LMJ, podendo haver exame escrito, de acordo com o disposto pela Superior Comissão Estadual de Graus da LMJ.

  • 1º. Se reprovado no exame de arbitragem, poderá haver nova oportunidade ao candidato no ano calendário.Uma vez aprovado, estará apto a prestar exame de graduação.
  • 2º. O candidato deverá cumprir a tabela de horas de arbitragem ou em outras funções relevantes dentro da LMJ, sendo:

Para SHODAN: 60 horas;

Para NI-DAN: 60 horas;

Para SAN-DAN: 90 horas;

Para YON-DAN: 120 horas;

Para GO-DAN: 150 horas.


  • 3°. O candidato poderá optar por recolher uma taxa para ser dispensado do cumprimento da execução das horas trabalhadas como árbitro ou em comissões a ele atribuídas (pesagem, súmulas, montagem e desmontagem de áreas, etc.), conforme tabela de custas.

Art.17º. No exame de NAGE NO KATA serão atribuídas notas de 5 a 10 (cinco a dez), sendo que notas abaixo de 07 (sete) significarão insuficiência técnica e o exame será encerrado.

  • . Qualquer quebra ou troca de sequência no exame, implicará em sua imediata interrupção e o candidato considerado REPROVADO.
  • 2º. O candidato terá, sempre, duas oportunidades para realização do exame de kata, No campeonato de kata e no dia do exame.
  • 3º.O Candidato deverá apresentar seu Uke, para a realização do exame.
  • 4º. O candidato que, no ano do exame, ou ano imediatamente anterior, obtiver nota acima de 07 (sete) no Campeonato Mineiro de Kata, estará dispensado do mesmo no seu de exame.

Art.18º. Aplicam-se aos demais exames, as mesmas normas do Nage No Kata.

  • 1°: Nos diversos exames de Kata, as técnicas serão julgadas no seu conjunto, equilíbrio, gravidade e harmonia. A cortesia e disciplina japonesa serão exigidas desde o momento da entrada no Dojo. Após a apresentação, cada examinador lançará uma nota de 05 (cinco) a 10 (dez). O candidato estará aprovado.se a maioria simples dos examinadores o considerarem apto.
  • 2º. Será considerado padrão o tempo de exibição do DVD realizado pela Kodokan. O candidato terá uma margem de até 15 (quinze) segundos para mais ou para menos na realização de seu respectivo Kata. O candidato será penalizado em 0,2 décimos por segundo fora dessa tolerância.

Art.19°. Os cursos de WAZA tem por objetivo o ensinamento das técnicas do Go-Kyo, de Ren Rakuenka Waza, de Kaeshi Waza, de Ossae WazaShime Waza e Kansetsu Waza (Shodan e Dans superiores), bem como técnicas do Extra-Go Kyo catalogadas para (Ni Dan e Dans Superiores).

  • 1º.Do curso de Waza será realizado o exame de graduação, sendo que serão cobradas partes das técnicas ensinadas, de acordo com o Programa a critério da CEE e o candidato deverá tirar as notas mínimas exigidas neste Regulamento.
  • 2º. O Curso de  Waza será ministrado em  um final de semana, ou mais se necessário, com presença obrigatória do candidato em todas as aulas.

Art.20º. O Curso de MELHORIA NA QUALIDADE DO JUDÔ visa aos faixas pretas e professores do Estado de Minas Gerais, debater temas como fisiologia do exercício, treinamento desportivo, primeiros socorros, além de temas ligados ao ensino e prática do Judô.

  • Único. Os Cursos terão assessoramento de um  Professor de Educação Física indicado pela Liga Mineira de Judô

Art.21º. Os candidatos para serem promovidos a Shodan e Dans superiores, deverão atingir as seguintes médias em cada exame:

Tipo de Candidato Nota Mínima

Normal (com menos de 35 anos de idade)
7,0
Com mais de 40 anos de idade 6,0
Com Serviços Prestados ao Judô da LMJ 6,0


Art.22º.As promoções por mérito terão o seguinte critério:

  • O candidato à promoção a SHODAN que tenha participado de todos os cursos técnicos da LMJ, feito a inscrição a exame de promoção, poderá, em tendo sido CAMPEÃO BRASILEIRO ou INTERNACIONAL no ano em curso ou que tenha MAIS DE CINCO ANOS DE FAIXA MARROM comprovado através de registro e participações na LMJ ou Ligas filiadas, a critério da Superior Comissão Estadual de Graus, poderá ser promovido por mérito;
  • Não haverá promoção por mérito fora dos critérios acima;
  • Professores, técnicos e atletas que atuarem vários anos no estado de Minas Gerais, auxiliando nos eventos da LMJ, poderão, a critério da Superior Comissão Estadual de Graus, serem promovidos por mérito a NI-DAN, SAN-DAN, YON-DAN e GO-DAN;
  • Qualquer promoção por mérito implica no pagamento de taxa especial, estipulada pela Diretoria, com anuência da Superior Comissão Estadual de Graus da LMJ, antes da outorga da promoção.

Art.23º. Não haverá distinção entre competidores para a promoção de graduação na LMJ, mas o atleta com menos de 40 anos que não tenha competido no ano calendário da LMJ, independentemente da motivação, terá sua nota mínima majorada para 7,5 (75% dos objetivos necessários).

CAPÍTULO IV:

DO “CURRICULUM VITAE” DO CANDIDATO

Art.24°. O “Curriculum vitae” do candidato deverá ser encaminhado à Presidência da SUCEST da LMJ até o dia 30 dias antes da realização do exame, contendo todos os dados necessários (previstos no anexo respectivo).

  • ÚnicoOs candidatos com currículo insuficiente para prestar exame de Shodan ou graus superiores, com idade abaixo de 35 anos, estarão sujeitos a prestar exame de shiai, a critério da CEE.

Art.25°. Não serão aceitos currículos remetidos por meio eletrônico. Todos os curriculos  deverão vir devidamente encadernados.

Art.26º. Os currículos dos candidatos serão analisados pela SUCEST que poderá aceitá-los, permitindo a realização do exame final (Waza), ou rejeitá-los, impedindo ao judoca de realizar o exame, baseando sua decisão na impontualidade ou inobservância de qualquer dos deveres do candidato, anotados e acompanhados anualmente pela CEE.

CAPÍTULO V:

DA SUPERIOR COMISSÃO ESTADUAL DE GRAUS DA LMJ:

Art.27º.  A Superior Comissão Estadual de Graus da LMJ colocará em prática o programa de outorga de faixas da instituição, ministrando os cursos técnicos previstos neste regulamento.

Art.28º. Conforme Estatuto da LMJ, artigo 43°, parágrafo 4°, é vetado ao Presidente do Conselho Administrativo pertencer à Comissão Estadual de Graus.

Art.29º. Candidatos a ROKU-DAN:

Para se candidatar a ROKU-DAN (6° Dan ou superiores),o candidato deverá apresentar o Curriculum Vitae à Comissão Estadual de Graus da LMJ. Se aprovado, será encaminhado a Comissão Nacional de Graus da Liga Nacional de Judô para análise.

Art.30º.O item “Fundamentos” será eliminatório para todos os candidatos.

Art. 31°. A Comissão solicitará as técnicas por seus nomes em japonês.

Art.32°. O rigor dos exames será aumentado à medida da importância das graduações.

 

Observação: Os casos excepcionais serão discutidos e definidos pela Superior Comissão Estadual de Graus da LMJ.

 

Este Regulamento entra em vigor no ato de sua aprovação pela Superior Comissão Estadual de Graus da Liga Mineira de Judô.

 

COMISSÃO ESTADUAL DE GRAUS

LIGA MINEIRA DE JUDÔ

Belo Horizonte, Março de 2013.

Restruturado em 30 de julho de 2016 pela SUCEST